19°C 28°C
Feira de Santana, BA
Publicidade

Morre aos 104 anos a ceramista e sambadeira Dona Cadu

Moradora de Maragogipe, no recôncavo da Bahia, ceramista, de renome internacional, fazia panelas, pratos e outros utensílios artesanais com barro, no distrito de Coqueiros.

21/05/2024 às 11h32
Por: Site Feira 24 Horas
Compartilhe:
reprodução
reprodução

Morreu nesta terça-feira (21), aos 104 anos, Ricardina Pereira da Silva, popularmente conhecida como "Dona Cadu", a mais antiga ceramista em atividade no Brasil. Moradora de Maragogipe, no recôncavo da Bahia, ela fazia panelas, pratos e outros utensílios artesanais com barro, no distrito de Coqueiros.


Além de ser uma ceramista conhecida no mundo, Dona Cadu foi uma líder comunitária, guardiã de saberes ancestrais, memória viva de confluências afro-indígenas e sambadeira.
Dona Cadu nasceu em 14 de abril de 1920, na cidade de São Félix, que também fica no recôncavo baiano. A causa da morte não foi revelada pela família dela.


Em 2020, Dona Cadu foi agraciada com o título de Doutora Honoris Causa pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), e em 2021 pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).
Estes títulos são conferidos a personalidades eminentes, nacionais ou estrangeiras, que se destacaram pelo saber e/ou pela atuação em prol das ciências, artes, filosofia, letras, culturas, e pelo desenvolvimento e entendimento dos povos, cuja contribuição tenha sido de alta relevância para o país ou para a humanidade.


No Memorial Valorativo, Dona Cadu é identificada como “Tesouro Humano Vivo” nos termos propostos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), enquanto uma das mais significativas personalidades difusoras da tradição oral, poética e performática de tradições do recôncavo baiano.
Em nota, a UFRB manifestou profundo pesar pelo falecimento da mestra da cultura popular.


"A sua trajetória é definida por um reconhecimento de singularidade por suas atividades de ceramista, de sambadeira e de rezadeira, sendo uma grande referência da cultura do recôncavo da Bahia de ancestralidade africana e indígena", disse no documento.

Veja abaixo a íntegra do comunicado da família de Dona Cadu:

"Com imensa dor e pesar, comunicamos o falecimento da querida Dona Cadu, que partiu nesta madrugada, deixando um vazio imenso em nosso corações. Dona Cadu era uma mulher amável, com coração gigante, bondosa, alegre e amável. Sua presença sempre alegrava o ambiente e ela deixará saudades eternas em todos que a conheceram. Ainda não temos detalhes sobre o funeral e velório. Assim que as informações forem definidas, comunicaremos a todos. Agradecemos as orações e o apoio neste momento difícil".

 

 

G1

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias