OLÍVIO FARMA - BANNER TOPO
ASSASSINADO

Homem é assassinado por pedir para 'furar' fila de mercado, diz polícia

A vítima tinha ido com o cunhado, que não teve o nome divulgado, ao mercado comprar um refrigerante para almoçar quando foi atingido por dois tiros no abdômen disparados por outro cliente e morreu no hospital.

12/06/2019 19h38
Por: Rodrigo Santos

Um pedido para passar na frente de outro cliente e ser atendido no mercado para pagar um refrigerante. Segundo testemunhas, este teria sido o motivo para o assassinato de Ronaldo dos Santos Lima, 22, na fila de um estabelecimento no bairro Bela Vista, em Marabá, sudeste do Pará, no último domingo (9).

A vítima tinha ido com o cunhado, que não teve o nome divulgado, ao mercado comprar um refrigerante para almoçar quando foi atingido por dois tiros no abdômen disparados por outro cliente e morreu no hospital.

Testemunhas relataram à polícia que Lima pediu ao suspeito do crime, que estava com o carrinho lotado de mercadorias, para pagar um refrigerante antes de o caixa finalizar o registro das compras, mas o homem não gostou, sacou uma arma de fogo e o matou com dois tiros. A polícia disse já ter identificado o suspeito, mas não divulgou o nome para não atrapalhar as buscas.

Imagens do circuito interno de segurança do estabelecimento registraram o assassinato. O caixa do mercado estava com a fila grande, com muitos clientes.

No vídeo, Lima aparece com uma blusa branca ao lado do cunhado, de blusa rosa, que está segurando o refrigerante. Enquanto outro homem, de blusa azul listrada, e a mulher dele, de preto, colocam as mercadorias no caixa.

O atirador gesticula para a operadora de caixa e, em seguida, saca a arma da cintura e dispara a queima-roupa contra Lima, que cai no chão. Amedrontadas, pessoas da fila correm. O homem ainda atira pela segunda vez contra a vitima, que agoniza no chão. O suspeito do crime, a mulher e a filha fugiram do local, deixando as compras.

A vítima ainda foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para o Hospital Regional do Sudeste do Pará, em Marabá, mas morreu. O corpo foi enterrado ontem, no cemitério municipal de Marabá.

A família dele está revoltada com o assassinato e pede Justiça. "Estamos em choque com tanta crueldade. Ele era um homem trabalhador e tinha ido comprar o refrigerante para o almoço de domingo. Só pediu para passar o refrigerante na frente e, como o homem não deixou, ficou esperando. Mas, o homem se descontrolou e atirou para matar porque ele no chão ainda atirou de novo", contou um familiar de Lima, pedindo para não ser identificado temendo represálias.

A Polícia Civil informou que está colhendo depoimento de testemunhas e já identificou o suspeito do crime. Ele vai ser indiciado por homicídio doloso (quando há intenção de matar) com qualificador de motivo torpe. Caso haja condenação, a pena é de 12 a 30 anos de prisão.

A vítima deixa dois filhos e a esposa, que está grávida de sete meses. Lima trabalhava como ajudante na construção civil e fazia outros bicos para manter a família. A polícia informou que a vítima não tem antecedentes ou registros policiais.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias