OLÍVIO FARMA - BANNER TOPO
LUTO

Morre aos 88 anos João Gilberto, o pai da bossa nova

Há décadas recluso, João Gilberto não dava entrevistas e não recebia ninguém em casa, a não ser familiares. O cantor e compositor baiano completou 88 anos no último dia 9 de junho

06/07/2019 16h48Atualizado há 3 meses
Por: Rodrigo Santos

O cantor e compositor João Gilberto, considerado um dos pais da bossa nova, morreu hoje, aos 88 anos, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pela nora do músico, Adriana Magalhães Oliveira e a filha dela, Sofia, em mensagens publicadas nas redes sociais. A causa da morte não foi divulgada.

"Meu vovô foi o vovô mais amoroso e carinhoso que eu podia ter tido. Pedia pra eu ir pra lá todos os dias e quando estava tarde da noite e já estava na hora de eu ir embora, depois de eu já ter passado o dia todo com ele, falava: - mas já vai? Dorme aqui!", diz a neta Sofia, no texto.

"Comia pra ficar forte pra brincar comigo. Me dizia sempre que eu era grande e que todo mundo ia gostar de mim. Foi carinhoso não só comigo, mas com meu pai e minhas irmãs, pedia sempre pra Alice ir comigo e adorava ficar de mãos dadas com ela conversando. Amo ele demais e vai estar sempre no meu coração e na minha vida".

"Tristeza, tristeza, profunda tristeza. Tudo que ele queria era estar aqui conosco e brincando com sua netinha,, nos pedia isso todos os dias, uma coisa muito simples, momentos felizes que foram negados a ele", escreveu Adriana.

Há décadas recluso, João Gilberto não dava entrevistas e não recebia ninguém em casa, a não ser familiares. O cantor e compositor baiano completou 88 anos no último dia 9 de junho. Uma das "organizadoras" da festança foi Sofia, a neta do músico, que preparou brigadeiros para o avô.

Desde o ano passado, ele estava sob interdição parcial, ou seja, não pode viver a plenitude de seus atos e direitos.

A filha Bebel move desde 2017 um processo de interdição do pai, motivada pela idade avançada e pela precária situação financeira em que vive -ele chegou a ser despejado do apartamento em que vivia no Leblon, zona sul do Rio de Janeiro, por dever anos de aluguel.

Em abril de 2018, de acordo com uma reportagem de "O Estado de S. Paulo", a Justiça autorizou o arrombamento do apartamento onde João vivia, no Leblon, acatando requerimento de Bebel para verificar o estado de saúde do músico e para que ele pudesse ser citado formalmente no processo de interdição.

 

A ação tinha o objetivo de afastar Cláudia Faissol, ex-companheira do músico, do controle da vida de João. O caso corre em segredo de justiça na 5ª Vara de Órfãos e Sucessões do Rio.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias