OLÍVIO FARMA - BANNER TOPO
BRASIL

Governo inclui 5 novos medicamentos para tratamento de quatro doenças ao SUS

Outra doença, a uvéite não infecciosa, teve seu protocolo de tratamento atualizado devido à incorporação do medicamento adalimumabe.

27/09/2019 11h08
Por: Rodrigo Santos

 O Ministério da Saúde incorporou cinco novos medicamentos e uma associação medicamentosa, destinadas ao tratamento de quatro doenças, ao Sistema Único de Saúde (SUS). Os documentos definem critérios para diagnóstico, controle e tratamento da hidradenite supurativa (HS), da colangite biliar primária (CBP) e da fenilcetonúria. Outra doença, a uvéite não infecciosa, teve seu protocolo de tratamento atualizado devido à incorporação do medicamento adalimumabe.

A pasta informou que três dessas doenças passam a contar com o tratamento definido em Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas (PCDT) no Sistema Único de Saúde (SUS) que garante o cuidado com tratamento específico aos pacientes acometidos pelas doenças.

O Ministério ainda destacou que os protocolos clínicos são importantes porque definem a linha de cuidado de uma doença ou agravo que deve ser seguida pelos profissionais de saúde para tratar os pacientes. Esses critérios devem ser seguidos pelos gestores locais. Os documentos são baseados em evidências científicas e consideram eficácia, segurança, efetividade e custo-efetividade das tecnologias recomendadas.

A colangite biliar primária (CBP) é uma doença crônica e autoimune, em que o sistema imunológico ataca as células saudáveis do fígado, podendo causar cirrose hepática e necessidade de transplante do órgão. Com tendência a ocorrer na meia idade, a CBP se manifesta sem sintomas e, por isso, o diagnóstico geralmente é tardio. A maioria dos pacientes só desenvolvem sintomas anos após o conhecimento da doença. Cansaço excessivo, coceira no corpo, perda de peso, desconforto abdominal e icterícia, que é a coloração amarela da pele causada por um aumento na concentração de bilirrubina na corrente sanguínea (hiperbilirrubinemia), estão entre as principais manifestações.

A hidradenite supurativa é uma doença inflamatória de pele que acomete, principalmente, as regiões das axilas, virilha, seios e, até então, não tinha tratamento específico. As mulheres são afetadas com maior frequência. A repetição das inflamações pode gerar cicatrizes graves e consequentemente limitação ou incapacidade de movimento no local, provocando grande impacto na qualidade de vida dos pacientes.

A Fenilcetonúria é uma doença rara, na qual existe uma deficiência na capacidade de quebrar adequadamente moléculas do aminoácido, fenilalanina (FAL), presente nas proteínas de origem animal e vegetal. Por isso, pessoas com fenilcetonúria precisam ter uma dieta com muitas restrições e produtos específicos.

Quanto a uveítes não infecciosas, são um conjunto de doenças nos olhos que ocorrem em decorrência da inflamação da úvea, região do olho formada pela íris, corpo ciliar e coroide.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias