OLÍVIO FARMA - BANNER TOPO
BRASIL

Porteiro mentiu ao citar Bolsonaro em depoimento

Ele disse que foi o presidente quem permitiu entrada de Elcio Queiroz no condomínio

30/10/2019 16h17
Por: Rodrigo Santos
 Foto: PR/José Dias
Foto: PR/José Dias

A procuradora do Ministério Público Simone Sibilio confirmou, em entrevista coletiva nesta quarta (30), que o porteiro do condomínio de Jair Bolsonaro mentiu para a Polícia Civil ao citar o presidente Bolsonaro no caso do assassinato da vereadora Marielle Franco.

De acordo com procuradora, que é chefe do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO), foi Ronnie Lessa quem permitiu a entrada de Élcio Queiroz no condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Ainda nesta quarta-feira (30), um investigador já havia levantado dúvidas sobre a veracidade do depoimento. Segundo o policial, o porteiro prestou dois depoimentos. No primeiro, ele afirmou que interfonou para a casa de Jair Bolsonaro. Já no segundo, confrontado com os registros da portaria, ele manteve a versão, mas suas informações já haviam perdido credibilidade para os investigadores.

Segundo a procuradora, os áudios que registraram as ligações da portaria foram as provas para descobrir a falsidade das informações. Ela afirmou também que o porteiro pode ser processado por falso testemunho.

A prova técnica juntada aos autos mostra que no dia 14/03/2018 às 17h07, quem autoriza a entrada de Élcio Queiroz no condomínio é Ronnie Lessa. Qualquer testemunha que mente, seja o porteiro ou qualquer outro, podem ser processados. Ele e todos os demais que mentem – disse Sibilio.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias