Sexta, 04 de Dezembro de 2020 19:35
(75) 99816-1138
Brasil GOVERNO

'Não aumentamos nem vamos aumentar impostos após pandemia', diz Bolsonaro

O presidente participou, nesta quinta-feira (22/10), da cerimônia de formatura dos alunos do Instituto Rio Branco

22/10/2020 13h27
Por: Site Feira 24 Horas
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou, nesta quinta-feira (22/10), da cerimônia de formatura dos alunos do Instituto Rio Branco e da entrega de insígnias a diplomatas. Durante o evento, o chefe do Executivo falou que não aumentará impostos no pós-pandemia.

Além disso, o mandatário brasileiro revelou ter convidado diplomatas de outros países para sobrevoo entre Manaus e Boa Vista, no qual, segundo ele, representantes estrangeiros “não verão sequer um foco de incêndio ou um hectare de terra queimado“. O titular do Planalto participou da solenidade acompanhado da primeira-dama do país, Michelle Bolsonaro, do vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), e de parte dos seus ministros. O evento começou às 11h, no salão do Palácio do Itamaraty.

“Estamos simplificando impostos. O governo federal não aumentou impostos durante a pandemia e não aumentará quando ela nos deixar. Nós preservamos a liberdade de imprensa. Imprensa brasileira, em nenhum momento vocês ouviram deste presidente algo parecido como controle social da mídia. Apesar de tudo, nós suportamos o que vocês escrevem, mostram e divulgam, sem qualquer retaliação da nossa parte”, assinalou o presidente.

Protesto de preocupação

Do lado de fora, um grupo formado por familiares de militares de baixa patente e pensionistas protestava contra Bolsonaro, acusando-o de traição por ter beneficiado apenas oficiais com o pagamento de reajuste. O alto oficialato das Forças Armadas foi uma das categorias poupadas pela lei que congelou aumento de remunerações do funcionalismo público até o fim de 2021.

O Sindicato Nacional dos Servidores do Ministério das Relações Exteriores (Sinditamaraty) divulgou nota alegando receio em relação à cerimônia, com público previsto de 250 pessoas. “Apesar de concordar com as homenagens à carreira de diplomata, o Sinditamaraty manifesta preocupação com a organização de um evento presencial de grande porte, uma vez que os casos e mortes por infecção da Covid-19 ainda não estão controlados no Brasil”, diz a entidade.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias